Empreendedorismo cor de rosa: Será assim tão fácil empreender?

O empreendedorismo está na moda e são muitas as pessoas que decidem começar o seu próprio negócio para alcançar a independência financeira.

A verdadeira questão aqui é que muita gente ainda acredita que ser empreendedor é um processo fácil e com resultados rápidos.

De facto, quando tudo corre bem, a compensação é muito gratificante. Contudo, há todo um “caminho cheio de pedras” para conseguir ser bem-sucedido.

Se pretende tornar-se num empreendedor acompanhe este artigo e conheça os principais desafios que poderá encontrar.

Os principais mitos sobre o empreendedorismo

“Ser o dono do próprio negócio é fácil”, “Quero ter uma empresa para trabalhar menos” e “Os empresários tiram férias quando querem”.

Estas são algumas das falsas expectativas associadas ao mundo do empreendedorismo.

Ainda é comum encontrar pessoas que acreditam que ser dono de um negócio é simples. Inclusive, há o conceito de que o empreendedorismo exige menos esforço e dedicação do que trabalhar por conta de outrem.

Acredite, estar à frente de uma empresa é muito mais desafiante e exige muito mais responsabilidade do que imagina. A vida do empreendedor é um exercício diário, sobre como lidar com pressão e excesso de tarefas.

É preciso ter o dobro da dedicação e do compromisso. Isto porque, se a sua empresa fracassar, a sua fonte de rendimento também se perde. A sua gestão financeira fica comprometida e, com ela, todos os seus sonhos e planos de ser bem-sucedido.

Reerguer-se pode ser uma tarefa desafiante e é por isso que é tão importante ter consciência de que o empreendedorismo não é “cor de rosa”.

De seguida, abordamos alguns dos mitos ligados à vida de um empreendedor.

1 – Basta ter uma boa ideia para começar um negócio

De facto, isto não é totalmente um mito. Um negócio promissor começa, efetivamente, a partir de uma boa ideia mas não basta ter uma visão interessante se não se dedicar a estudá-la, aprimorá-la e transformá-la num negócio viável.

As etapas que antecedem a abertura de uma empresa são imprescindíveis e devem ser cuidadosamente planeadas, para aumentar as oportunidades de sucesso.

Neste sentido, é preciso avaliar tudo o que envolve o funcionamento da empresa. Desde as operações à gestão das finanças, até que a mesma dê lucro.

2 – Terei menos pressão ao ser meu próprio chefe

Livrar-se da exigência dos chefes é um dos motivos que levam várias pessoas a aventurar-se no empreendedorismo.

Na realidade, deixa de ter a obrigação de responder a terceiros. Contudo, a pressão no trabalho tende a ser ainda mais intensa na vida de um trabalhador por conta própria porque, afinal, tudo vai depender de si.

As principais decisões e ações que guiam o futuro da empresa passam a ser da sua responsabilidade. É claro que irá sempre ter momentos de maior e menor pressão mas, inevitavelmente, terá de enfrentar períodos de crise e solucionar o que não estiver a resultar.

3 – Vou ganhar dinheiro rápido

O excesso de confiança costuma ser um dos grandes problemas dos novos e inexperientes empreendedores.

Até pode ter uma ideia inovadora mas isso não significa que a sua empresa irá atingir o sucesso rapidamente e gerar lucro imediato.

Há inúmeros fatores nesta equação e fazer dinheiro rápido quase nunca é um resultado duradouro. Existe um longo caminho a percorrer, até que possa atingir a independência financeira.

4 – Sendo empreendedor, terei uma vida flexível e tranquila

Se considera empreender para ter uma rotina mais flexível e mais tempo para se dedicar a atividades de lazer, tenha atenção.

Sugiro que comece por definir três tipos de objetivos: Objetivos de ser (que pessoa quer ser), Objetivos de relacionamento (como se quer relacionar com quem o rodeia) e Objetivos de crescimento (para onde quer levar o seu negócio).

É comum o empreendedor esquecer-se de si próprio, para se focar no seu projeto e estes três objetivos vão mante-lo no trilho sem grandes desvios.

É claro que, tendo um negócio, a sua vida pode melhorar em alguns aspetos, como gerir o horário em que pretende trabalhar mas, na realidade de muitos empreendedores, chegam a existir jornadas de trabalho que pode chegar a 12 ou mais horas por dia.

A flexibilidade tem um preço e precisa de ponderar se está disposto a pagá-lo, antes de se aventurar num negócio.

Com este artigo não se pretende dissuádi-lo de começar o seu próprio negócio.

O objetivo é mostrar, sem romantismos, que a vida de um empreendedor não é um “mar de rosas”, como nenhuma outra vida é!

Há inúmeros desafios a enfrentar diariamente, especialmente no início. Aceitá-los é o primeiro passo para iniciar o seu percurso no universo do empreendedorismo.

Partilhe este conteúdo:

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Close Menu