Celebre o Natal em família … comemore a entrada no novo ano mas… não se esqueça de visitar o E-Fatura até 15 de fevereiro porque o seu IRS agradece.

Se é trabalhador independente, terá de separar as despesas afectas à sua atividade profissional das de foro pessoal pois, sem este procedimento, a Autoridade Tributária não considerará as suas despesas gerais.

O primeiro passo é aceder ao Portal das Finanças e ver a distribuição das suas deduções provisórias de IRS pelas respetivas categorias: despesas gerais familiares, saúde, educação, habitação, lares, reparação de automóveis e motociclos, restauração e alojamento, cabeleireiros e atividades veterinárias.

Em seguida, se tiver despesas por validar, irá aparecer uma lista com as faturas na situação “pendente”. Só necessita de clicar no ícone para selecionar a atividade da despesa em causa, alterar os dados e “guardar”.

Note que, todas as despesas que não tenham setor de atividade atribuído serão contabilizadas como “Despesas gerais familiares” e não beneficiará da dedução se específica (se for esse o caso).

É importante salientar que as faturas em papel devem ser mantidas até, pelo menos, o consumidor confirmar a sua correta existência E-Fatura está correta.

Se, ao aceder à sua página, verificar que há faturas não estão registadas… não as registe de imediato…

Os comerciantes têm até ao dia 25 do mês seguinte ao da emissão da fatura para proceder à introdução dos dados no E-fatura. Porém, se a ausência permanecer, o consumidor deve “registar faturas”.

Nos casos em que as faturas não estejam registadas corretamente, deve o consumidor clicar no botão “alterar”, coloque os dados corretos e “guardar”.

Notas importantes:

  • Todas as faturas necessitam de ter o número de contribuinte.
  • As despesas realizadas com saúde à taxa normal de IVA (23%) deverão ser devidamente justificadas com receita médica.
  • Peça a senha de acesso para os seus filhos.